Luz portátil e afetiva: Mobi, design Fernando Prado

Uma luminária que pertence às pessoas e não aos espaços. Esse foi o mote do designer Fernando Prado ao criar a Mobi, lançamento da Lumini. “Ela passa a ser um objeto pessoal, você pode levá-la pela casa como se fazia com os lampiões antigamente”, me contou Fernando ontem.

Com uma luz amarelada, indireta e confortável, a luminária tem estrutura em alumínio ou latão escovado e base em madeira maciça (cumaru) ou mármore (branco ou verde). A fonte de luz foi posicionada bem recuada no interior para evitar ofuscamento e o rebatedor giratório permite o direcionamento da luz.

Carregável via cabo mini-USB, a Mobi proporciona até 12 horas de iluminação eficiente. “É possível escrever e desenhar usando-a como única fonte luminosa. Eu já fiz isso”, disse Fernando. Dimerizável por toque, a luz pode ter três níveis de intensidade.

Num momento em que estamos nos apropriando mais de nossas casas e ocupando todos os ambientes, uma luminária com essa proposta vem bem a calhar!

(Fotos e vídeo: divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.