Expo Revestir 2020: Top 10

Tempo de leitura: 5 minutos

Na semana passada aconteceu a Expo Revestir, e dentre os vários lançamentos bacanas, selecionei meus 10 preferidos. Um desafio? Com certeza! Para fechar um pouco o filtro, optei por escolher apenas produtos que já estão no mercado ou entram nos próximos meses, e excluí peças conceito ou ainda em desenvolvimento. Dentre os escolhidos, produtos com certa pegada afetiva, inovadores (na proposta, na produção ou em ambos) ou ainda que permitem grande customização de projeto. Vamos a eles:

Revestimento Adobe – design e produção Castelatto

Inspirado na técnica vernacular de mesmo nome, na qual o barro (normalmente mesclado a palha ou outras fibras) é moldado artesanalmente em formas e deixado para secar ao ar livre. Executado em concreto arquitetônico com fibra sintética, pode ser aplicado em paredes internas e externas. Gostei muito dessa iniciativa de olhar para técnicas vernaculares (muitas vezes ignoradas ou mesmo depreciadas) e trazer essa bela memória para os ambientes contemporâneos. (Foto: Favaro Jr)

Cobogó Arco – design Rodrigo Ohtake para Solarium

Na simplicidade, a maior qualidade. A mesma curva (em dois tamanhos) se alterna nas duas faces de cada módulo, fazendo com que não exista frente nem verso — o que vai definir isso é o projeto. O resultado é um produto que permite a ventilação sem comprometer a privacidade.

Linha Areias Decor – design Juliana Medeiros para Portinari

Integra a coleção Nuances da Natureza, que a arquiteta de Curitiba desenvolveu a partir de poemas escritos por Candido Portinari. “Ao ler os poemas de Portinari, sorri, chorei e me conectei. Escutei as árvores e os pássaros como habitualmente gosto de fazer, mas estava ali debruçada em seus versos sentindo tudo de uma forma diferente”, relata. Nesta linha, três azulejos diferentes permitem criar um degradê de texturas nas paredes, num efeito que remete ao movimento das dunas.

Cobogó Boomerang – design Larissa Maffra para Munó

A jovem empresa goiana participa da feira pela segunda vez, novamente apostando em talentos locais. Desenvolvido pela arquiteta Larissa Mafra, de Goiânia, este cobogó chama atenção pela equilibrada assimetria e pelo movimento que a inclinação do plano vertical permite, à medida em que se varia a posição da peça na montagem.

Azulejo Capitonê – design Zanini de Zanine para Eliane

À primeira vista, um azulejo com um formato interessante, mais alongado. Mas basta olhar com um pouco mais de atenção para se perceber uma reentrância circular, bem suave, em uma de suas pontas. Parte da coleção Studio Zanini, que conta com seis modelos assinados pelo designer carioca para a marca catarinense. Gostei de vários modelos, mas este me atraiu pela sutileza e pelo seu aspecto intrigante — no início fiquei na dúvida se o relevo era real ou um efeito da luz ambiente.

Cobogó 4.0 – design José Lepri Neto para Lepri

Além de ser uma peça super versátil — seu desenho permite que seja montado em uma estrutura articulável, de modo que pode ser usado como um brise-soleil móvel —, incorpora em sua composição a lama de Mariana, dando uso a esse resíduo que precisa de um destino. A empresa, aliás, utiliza descartes em seus produtos há tempos. Com 70 cm de altura e disponível nas cores Puglia e Rosso (foto), o Cobogó 4.0 pode ser usada em paredes internas e externas.

Série Color Block – design e produção Portobello

Produtos com diferentes composições e texturas — mas ligados pela paleta cromática suave —  compõem essa série, que, dentre os muitos lançamentos bacanas da marca, foi a que me falou mais forte. São seis cartelas sugeridas (baseadas em tons de branco, verde, azul, cinza, preto e rosa antigo), que incluem os seguintes produtos: Artisan Brick (tijolinhos que mesclam argila colorida com pequenos fragmentos de vidro); Zig Zag (uma cerâmica com superfície que se destaca pelo relevo em zigue-zague e acabamento acetinado) e Artisan Glass (um mosaico de pastilhas de vidro levemente opacas, em diferentes formatos), além de um mosaico cerâmico com pastilhas de formato irregular. 

Coleção Horizon – design João Armentano para Roca

Linhas essenciais e uma proporção super equilibrada marcam os seis modelos de cubas de sobrepor desenhadas pelo arquiteto brasileiro para a marca espanhola. Detalhes como válvulas ocultas ou embutidas e acessórios de madeira (que serão comercializados como opcionais) trazem ainda mais refinamento para as peças. Minha preferida é a cuba dupla, minimal chic até não poder mais. Já no modelo acima, uma técnica impressão marmorizada migrou do porcelanato para a cuba, num processo inovador.

Chuveiro de jardim Toró – design Play Arquitetura para Docol

Simplesmente genial. Com base de concreto contendo ranhuras para a vazão da água, foi pensado para simplesmente “pousar” sobre a grama e começar a ser usado imediatamente — já que a água vem diretamente de uma mangueira de jardim conectada à base do chuveiro, o que dispensa qualquer instalação hidráulica específica.

Coifas Split – design e produção Tramontina

Lançamento que promete resolver uma das maiores “dores de cabeça” dos usuários: o ruído gerado pelo motor das coifas durante o funcionamento. O segredo? Um novo sistema (batizado Split) que permite a instalação do motor fora da coifa, em uma distância de até 6 metros. Na foto, o novo modelo Dritta 90 Split, em projeto da arquiteta Paola Cury. (Foto: Paola Cury)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.