Hotel ocupa e restaura edifício modernista nos Estados Unidos

Quando um ícone da arquitetura de uma cidade ganha vida nova: assim pode ser descrita brevemente a história do The Durham, novo hotel localizado no coração de Durham, na Carolina do Norte, Estados Unicos. O projeto assinado pelo escritório Commune fez renascer um edifício emblemático da cidade: o Mutual Savings Bank, projetado por Perry C. Langston em 1965 e desativado desde 2008.

Os arquitetos baseados em Los Angeles não só se inspiraram pela arquitetura modernista do edifício como buscaram recuperar a atmosfera midcentury em todos os materiais, revestimentos e mobiliário que compõem os interiores do edifício. Assim, Charles e Ray Eames, Josef e Anni Albers e Arne Jacobsen foram alguns dos nomes icônicos do design moderno que inspiraram os criativos do Commune.
Os seis andares do edifício hoje abrigam 53 quartos, além de uma penthouse suite, um restaurante com bar, no térreo, e bar com longe na cobertura. Na entrada do hotel, uma banca de revistas oferece publicações regionais e difíceis de serem encontradas, assim como uma seleção de discos de vinil da gravadora local indie favorita, a Merge Records.

O lobby dá as boas vindas com um carpete gráfico e vibrante, inspirado nos desenhos de Anni Albers. Este mesmo carpete se prolonga por todo o piso térreo, incluindo o restaurante contíguo ao lobby, comandado pela renomada chef local Andrea Reusing. Os chandeliers do restaurante, desenho dos arquitetos, foram inspirados nas luminárias criadas por Toshio Taniguchi para o lobby do icônico Okura Hotel, em Tóquio, e foram executados pelo designer Robert Lewis, em Los Angeles.

O mezanino curvo original – onde se localizam os espaços para eventos – volta-se para o restaurante do piso térreo, permitindo uma vista panorâmica do lugar. Tanto mezanino quanto lobby receberam mobiliário customizado criado pelo designer Michael Boyd, do estúdio californiano Plane Furniture.

No acesso para os quartos, novamente os carpetes gráficos à la Anni Albers marcam presença, dando ritmo e personalidade aos corredores. No interior dos quartos, os móveis com pegada modernista ganham a companhia de mantas feitas sob medida pela Raleigh Denim e gravuras especialmente comissionadas a três artistas locais: Ashlynn Browning, Martha Clippinger e Heather Gordon.

A cobertura, por fim, talvez seja um dos lugares mais bem aproveitados do projeto. Lá, além da exclusiva penthouse suite, foram instalados um bar e um lounge que permitem a hóspedes e moradores locais apreciarem a vista da cidade e, em datas específicas, assistirem a apresentações musicais e sessões de cinema – além da ioga matinal, programação frequente. O uso de postes metálicos e cobertura de metal corrugado traz a materialidade e o design clássicos da época para o pavilhão coberto que abriga as mesas do bar, que conta com mobiliário produzido por James Garza em Marfa, Texas, assim como a área do lounge, ao ar livre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.