Cucos são coisa do passado?

Bird Cage Clock, design Dorothée Loustalot

Surgido no século 18, o cuco é tradicionalmente um relógio de parede com pêndulo visível e dois contrapesos de formato cônico, decorado com uma casinha de aspecto campestre. Seu décor normalmente tem cenas da vida rural em uma bela paisagem, imagens que evocam a simplicidade de uma vida bucólica idealizada, em uma paisagem alpina, longe do progresso da cidade.

“Mas como seria o cuco dos dias atuais, em um mundo governado pelas leis do mercado e uma sociedade na qual o design joga em partes iguais com a arte?” Com essa pergunta em mente, o designer Claudio Colucci propôs a seus alunos da HEAD – Genève que reinventassem o cuco de forma contemporânea, num workshop coordenado por ele próprio e também por Fabio Colucci e Mathieu Bassée. Um requisito deveria ser obedecido, no entanto: manter a principal qualidade do cuco tradicional, que é a de “contar uma história enquanto informa as horas com seu canto regular”.

O resultado são 24 cucos que não remetem mais àquele mundo idealizado do início, mas sim mostram preocupação com a atualidade, ao mesmo tempo em que mantêm um toque lúdico e malicioso, próprio do DNA deste guardião do tempo. Tais criações estão sendo apresentadas pela primeira vez durante o D’ Days, que começou ontem em Paris e segue até o dia 25. (Para quem estiver na cidade-luz, fica a dica: a expo 24 heures dans la vie d’um coucou suisse acontece no Musée des Arts & Métiers)

Há várias peças bacanas, seja pela beleza ou pelo caráter intrigante, mas gostei especialmente de Swiss Paradise, na qual Mary Ivol mostra o interior do relógio e faz uma alusão à Suíça dos segredos bancários e ao mundo das câmeras de vigilância (e ainda por cima é lindo!), e do Coucou Bijou, um pendente-cuco que evoca a miniaturização e a precisão neste métier tipicamente suíço.

 

Swiss Paradise, design Marie Ivol

 

Swiss Paradise, design Marie Ivol

 

CC Timer, design A. Burdin e M. Zieba
Projeto de Clémentine Despocq (ainda sem título)
Projeto de Nadège DellOme Seigne e Noëllie Salguero-Hernandez (ainda sem título)
Coucou Bijou, design Mathilde Petit
Projeto de Nicolas Lafargue (ainda sem título)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.